Viagem de Estudos à Serra Catarinense II

Como sabe-se, o vinho nasce na vinha. Então, se realmente quisermos aprender sobre o vinho, há que conhecer o que acontece nos vinhedos.
Com este propósito, tivemos nossa segunda experiência ‘in loco’ na Serra Catarinense.

Escolhemos um sábado de janeiro, época que Natureza e Homem têm trabalho intenso no campo, para visitarmos duas propriedades de Bom Retiro: Vinícola Santa Eulália e Vinhas da Serra – as quais generosamente abriram suas porteiras, nos receberam calorosamente, e não pouparam esforços para compartilhar daquilo em que apaixonadamente dedicam-se.

Nossa primeira parada foi na Santa Eulália onde o proprietário, José de Arimateia, nos esperava para demonstrar várias etapas do trabalho com as vinhas, os desafios enfrentados na viticultura, e também a análise constante que deve ser feito da maturação do fruto – demonstrando isto com o uso do refratômetro.
Ali tivemos oportunidade de participar de atividades como um viticultor – profissional responsável pelos trabalhos nos vinhedos.

Quando o calor já estava intenso, paramos para nosso ‘piquenique do viticultor’, onde suco de uva, vinho da vinícola e produtos locais não poderiam faltar.  Entre eles estavam queijos, apresentados em uma degustação pelo próprios produtores, Air e Jacinta Zanelatto, proprietários do Sítio Santo Antônio – uma pequena propriedade que produz Queijo Colonial Serrano de grande qualidade.

Ali tivemos a oportunidade de provar vários Vinhos Banduria, e conhecer o resultado do empenho, estudo e trabalho do Sr. Zé – quem incansavelmente investiga as melhores castas para a terroir local. São mais de 10 variedades atualmente, entre elas estão Tannat, Montepulciano, Chardonnay, Sauvignon Blanc, Malvasia, e a Cabernet Cortis – uma casta híbrida que tem Cabernet Sauvignon e Solaris como pais, e foi criada na Alemanha no ano de 1982.
A opção por cultivar esta uva se dá porque ela amadurece cedo, é altamente resistente ao míldio e botrytis – ainda que seja sensível ao oídio.
O vinho da Cabernet Cortis é de cor densa e é tânico, com caracteres vegetais – lembrando um pouco vinhos de uva comum, no seu final.
Este vinho pode ser uma boa alternativa, para quem está iniciando no mundo do vinhos, na transição do vinho comum para o fino.

Na sequência, seguimos rumo nosso segundo destino, onde a família de José Roberto e Janete nos esperavam com um delicioso churrasco campeiro e mais vinhos!
A recepção foi calorosa e o almoço uma delícia. Ali provamos outros Vinhos Banduria, entre eles destaco o Tannat 2004, o qual demonstra o bom potencial da casta na região.

Esperamos a breve chuva, do instável clima de verão, passar e visitamos o jovem vinhedo da propriedade, onde pudemos dar nossa contribuição para rejuvenesce-lo ainda mais com o plantio de mudas em pé franco (sem enxertia) de montepulciano. Assim, nossa visita deixará lembranças que crescerão e frutificarão.
Foi um dia de conhecimentos que certamente ficarão na memória.

Aqui deixo meu agradecimento a todos que nos receberam, demonstraram seu trabalho e o fruto dele, aos que nos acompanharam nesta viagem de experiências, compartilharam momentos e fotos. Deixo também registrado o testemunho daqueles que participaram:

“E a segunda edição da viagem de estudos sobre vinhos e vinhedos foi concluída com sucesso. Com a organização impecável e dedicação incrível da Márcia Amaral conhecemos a Vinícola Santa Eulália e o Vinhedo Vinhas da Serra em Bom Retiro/SC.
Com os ensinamentos do Seo Zé, Beto e Janete fizemos o procedimento da desfolha, pra que os frutos possam receber mais luz nesse período, vimos na prática quais são as pragas que atacam as uvas e plantamos algumas mudas das casta Montepulciano.
Cada vez mais entendemos o que está por trás de uma garrafa de vinho. Além de muito trabalho e conhecimento das pessoas envolvidas, o amor e o carinho que dedicam na produção é admirável . Agradecemos muito por tudo.”, Juliana do Carmo e Marcelo Matias.

“Ontem foi dia de aprender na prática sobre viticultura e vinhedos!
Foi uma experiência incrível em vinhedos na Serra Catarinense! Tivemos atividades de campo e muito bate papo de plantio, enxertia e poda! Eu sempre quis conhecer mais sobre o que tem por trás de um bom vinho.. e só vivenciando que conseguimos perceber a dimensão que é produzir-los! Foi incrível! Obrigada Marcia, do Tudo do Vinho, que criou essa experiência!”, Estela Cislaghi.

“De ontem: Aprendendo, me divertindo, bebendo bons vinhos, comendo coisas deliciosas e convivendo com gente muito querida! O que mais eu posso querer da vida? Obrigada Tudo do Vinho e a todos que participaram da nossa viagem. Foi incrível!”, Jaína Itamaro

“Somos as experiências que vivemos, as memórias que guardamos e a sabedoria que partilhamos!
Na segunda edição da viagem de estudos na Serra Catarinense vivenciamos muitas experiências incríveis mas o mais marcante é o amor das pessoas que cultivam a terra e produzem o vinho.
Certamente dedicação é a palavra que melhor define tudo o que visualizamos na data de ontem, 19/01/19.
Agradecemos imensamente cada detalhe pensado pela Marcia e a acolhida do Sr. José de Arimateia e da família do José Roberto.
Na propriedade do José Roberto tivemos a oportunidade de plantar nossa primeira vinha, casta italiana moltepulciano.”, Cecília e Henrique Schaefer

“No último fim de semana participamos de uma viagem de estudo na Serra Catarinense.
Iniciamos a nossa visita na vinícola Santa Eulália – Vinhos Banduria , onde seu Zé nos ensinou na prática como é o dia a dia em uma vinícola. Participamos de varias atividades, como o processo de desfolha, para que a uva possa receber mais luz nesse período; experimentamos e conhecemos as diferentes variedades de uvas que ali são plantadas e também aprendemos um pouco sobre as pragas que atacam as uvas e quais são as suas consequências na plantação. Foi uma experiência fantástica para aprender a valorizar ainda mais o vinho nacional. Um brinde aos vinhos de altitude da Serra Catarinense!!”, Heloisa Pires.

Saúde!
Marcia Amaral

3 comentários em “Viagem de Estudos à Serra Catarinense II

  1. Foi muito agradável e fantástico divir com todos a nossa história, calcada na tradição e cultura no saber fazer açoriano e português na produção do Queijo Artesanal Serrano catatinense (QAS).. Agroabraço e estamos sempre pronto para servi-los.

    Curtir

Deixe uma resposta para Air Zanelato e Jacinta Zanelato Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s