Viagem de Estudos V

Ontem tivemos nossa 5ª Viagem de Estudos. Esta foi mais uma oportunidade de aprendizado e de experiências na Serra Catarinense.
O destino foi os vinhedos Vinhas da Serra, de propriedade de Beto Furlanetto e Janete Junkes, localizados no interior de Bom Retiro.

Chegamos ao local antes das 10 horas da manhã, mas o sol já estava intenso.
Iniciamos do ponto mais alto da propriedade, onde a altura é de pouco mais de 900 m.s.n.m. – considerada de altitude em Santa Catarina.
Deste pronto até o portão de entrada da propriedade há uns 100 metros de variação, e esta inclinação também faz a diferença em cada parcela dos vinhedos.

Vinhas da Serra tem uma diversidade grande de castas, incluindo americanas cujos frutos são utilizados para elaboração de suco, e de vitis viníferas como Montepulciano (algumas mudas desta foram plantadas pelos participantes da Viagem de Estudos II) e Rebo (um dos focos de conhecimento na Viagem de Estudos IV).


Para falar sobre os trabalhos nos vinhedos, contamos com o conhecimento de José de Arimatéia de Medeiros, seu Zé, responsável pela elaboração dos vinhos com as uvas desses vinhedos e de seus próprios, em sua propriedade a qual também inclui a pequena vinícola, Santa Eulália – cujos vinhedos já havíamos visita na primeira viagem deste ano.

Ali entre os vinhedos da Vinhas da Serra ele compartilhou muito do seu conhecimento adquirido de forma autodidata e experimental.
Aprendemos com ele a importância e função da poda verde (a qual destaquei em uma publicação anterior).

Uma vez instruídos partimos para a prática, eliminado tudo que se coloca no caminho entre a raiz e o fruto, com o objetivo de concentrar a seiva da planta na uva.

Já sentindo o calor intenso do sol, como acontece com quem trabalha no campo, encerramos nossa prática e fomos degustar à sombra outros produtos locais.
Mel com origem na própria Vinhas da Serra e queijos do Sitio Santo Antônio nos foram apresentados, enquanto provamos um espumante método ancestral elaborado na vinícola Santa Eulália – assim como os demais vinhos que acompanharam nosso dia, que têm como marca: Banduria.

Os vinhos que seguiram foram todos varietais: Chardonnay, Rebo, Montepulciano, Teroldego, e um Chardonnay Colheita Tardia – como surpresa e cortesia, pois era a última garrafa do estoque privado do Beto.

Para acompanhar os vinhos, tivemos um almoço bem tradicional, com churrasco à moda regional – preparado pelo melhor assador da comunidade!
O almoço e toda a programação, aconteceram pela união de vários esforços, onde muitos colaboraram com o seu melhor para proporcionar ao grupo uma experiência que é muito similar ao que eles próprios vivenciam e valorizam. Eis aqui o maior valor desse dia: viver momentos que fazem a diferença, tal qual como eles são, sem filtro.

Encerrado o almoço, e depois de muitos brindes e risadas, nos despedimos de nossos anfitriões para o retorno a Florianópolis.
No caminho passamos no rio Campo Novo para refrescarmos os pés e conhecer onde os locais fazem os mesmo nas tarde de domingo: em Bom Retiro como os Bom-Retirenses!

Saúde!
Marcia Amaral


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s